A avaliação psicológica é um processo amplo que envolve a integração de informações provenientes de diversas fontes, dentre elas, testes, entrevistas, observações, dinâmicas, análise de documentos.
Por intermédio da avaliação, os psicólogos buscam informações que os ajudem a responder questões sobre o funcionamento psicológico das pessoas e suas implicações.

O comportamento humano é resultado de uma complexa teia de dimensões inter-relacionadas que interagem para produzi-lo. As avaliações feitas por profissionais tecnicamente bem preparados, fundamentadas em métodos cientificamente sustentados, ao contrário de opiniões leigas ou subjetivas, oferecem respostas muito mais confiáveis.

A avaliação psicológica centra-se na utilização de meios (testes) e técnicas que avaliam e descrevem com objetividade o funcionamento psíquico de uma pessoa num dado momento, o que, por sua vez, poderá revelar índices de predição sobre o seu comportamento. Geralmente, a necessidade de uma avaliação psicológica surge como resposta a um pedido de um profissional de saúde ou de outro profissional como um professor ou um educador.

Através da avaliação psicológica é possível estudar a personalidade, competências cognitivas e competências de memória entre muitas outras dimensões da psique. Desta forma, a avaliação psicológica serve vários propósitos.

Através da avaliação de aptidões cognitivas e intelectuais, assim como de motivações afetivas, a avaliação psicológica fornece informação essencial para a definição e consequente ganho de consciência, por parte do avaliado, da sua identidade profissional.

Essencialmente o processo de avaliação psicológica decorre em três momentos distintos:

  1. Na primeira consulta ocorre a entrevista clínica. Neste contexto o psicólogo, em conjunto com a pessoa, explora o motivo do pedido de avaliação psicológica para, posteriormente, definir as provas e técnicas a empregar na próxima fase.
  2. Num segundo momento são aplicadas as provas psicológicas. Todos os instrumentos utilizados foram alvo de validação científica quanto ao seu grau de viabilidade.
  3. A última fase do processo consiste na elaboração do relatório de avaliação psicológica.

Todos os relatórios disponibilizam informação sobre os resultados das provas, sobre as observações e orientações para a superação de dificuldades detectadas.

A confidencialidade de toda a informação resultante do processo de avaliação psicológica, além de uma obrigação, é um dever ético.